• ocriabauru

Coletivo B - Criatividade por uma Moda Sustentável

Você sabia que são necessários 2.700 litros de água para fabricar uma camiseta de algodão? E que fabricar uma calça jeans emite o mesmo que dirigir um carro por 128 km? (WRI, 2019).


Esses são apenas alguns dos dados da indústria da moda. Não é de hoje que se discute os impactos sociais e ambientais do setor. Na nossa série de apresentação de Coletivos de Bauru, você vai conhecer um grupo que promove a reflexão sobre esse tema da moda.

Tábata; Gabriel e Marina - Coletivo B Bauru

O Coletivo B é um Grupo de Brechós da cidade de Bauru que se uniu para proporcionar uma experiência de consumo mais sustentável por meio da moda! Trocamos uma ideia com os integrantes para entender sua mensagem para o mundo.


COMO SURGIU O COLETIVO?

Da minha união com o Gabriel (Mescana) pra organizarmos uma Edição do "Só Brechó", feira fundada pela Natália Nogueira, que até então era o único evento exclusivo para Brechó na cidade. Na época não tinha muitos lugares como feiras pra quem trabalhava com Brechó.

Depois juntos criamos o Coletivo B, pra termos sempre uma feira/evento voltados para o público de Brechó. e a Marina veio pra somar com a gente! (Tábata, do @brecho_afromix).



Segundo Gabriel, o coletivo surgiu através da ultima edição do evento "Só brechós", em 2019, incialmente organizado por Nathalia Nogueira. Nesta última edição eu (Gabriel Felix), junto a Tabata Inocêncio, organizamos uma feira com mais de 30 expositores, de cunho social com parte das arrecadações voltadas para uma ong de animais.


"E através delas compreendemos a nescessidade de realizar essas feiras por ser um espaço que pouco nos era ofertado e que era muito importante para nós deste ramo. "

À partir desta inquietação, nós unimos e fundamos o coletivo B, que foi tomando forma no decorrer da pandemia.


QUAL O OBJETIVO DO COLETIVO?


Acredito que seja ressignificar como pessoas enxergam o nosso trabalho, fortalecer cada vez mais esse segmento na cidade, fortalecendo o consumo sustentável. (Tábata).


Segundo Marina, integrante do Coletivo B, o objetivo do coletivo de brechós é trazer maior visibilidade para este mercado e para esta prática que em muito contribui para a sociedade em geral. Através do coletivo organizamos feiras de expositores locais e trazemos o diferente para o centro da mesa, peças e itens usados que ainda possuem muita vida útil.



Nosso objetivo é unir os comerciantes do segmento dos brechós para que juntos possamos organizar eventos não só destinado para vendas, mas também para a troca de experiências e conhecimentos a cerca deste ramo que ainda nao conta com muitas formas de capacitação, diz Gabriel. Que complementa:


"Para que através desta união possamos juntos crescer e ganhar cada vez mais espaço enquanto nos profissionalizamos."

FATOS MARCANTES


Nossa primeira feira no Barracão do Projeto Crisálida, onde levamos um público grande pra uma Mega Feira de Brechó num bairro periférico, onde tivemos um resultado lindo (Tábata).



Para Marina, a organização de feiras em diversos pontos, ocupando a cidade e levando nossos projetos para o maior número possível de pessoas.


Organizamos nossa primeira feira com mais de trinta expositores participando. Estamos organizando nossa sexta edição. Nossas feiras buscam um formato inclusivo para todos os públicos,formado por comerciantes com curadoria diversa e com valores para todos os gostos, diz Gabriel.


Temos como foco ocupar desde as áreas centrais da cidades até os bairros periféricos para que assim realmente possamos levar a todos os públicos nosso trabalho.


COMO A CRIATIVIDADE ESTÁ INSERIDA NA ROTINA DO COLETIVO?


Para Tábata:


"De forma integral, eu acredito, porque temos que nos reinventar a cada evento, temos que sempre criar algo novo pra manter o coletivo ativo, para manter as ideias vivas."

Gabriel: A criatividade se faz presente na comunicação, no desenvolvimento das artes e nas atrações artisticas que colocamos em nossos eventos.




QUAIS OS PRINCIPAIS DESAFIOS?


Estrutura, acho que não ter uma estrutura pra se criar feiras e eventos com mais frequência, não ter apoio pra isso. É um grande desafio pra gente sempre que vamos desenvolver uma feira, diz Tábata.


Marina considera que lidar com o mercado de usados carrega por si só uma série de preconceitos. Alavancar essa prática com a sustentabilidade e com a redução de impactos tanto ambientais como sociais é uma grande desafio.


"A mudança de hábitos pode levar gerações e contribuímos com ela tendo em vista o médio/longo prazo."

Empreender é sempre um desafio, empreender de forma coletiva é ainda mais. Em todas as nossas atividades temos que construir uma comunicação e tecer uma rede de contatos para atrair clientes e apoiadores para nossos eventos. Para que assim alcancemos êxito, o que até entao tem dado muito certo!


QUAL O SONHO DO COLETIVO?


Particularmente falando, acho que se tornar o maior representante de brechós da região, não só como feira, mas como meio de capacitação também, diz Tábata.

Para Marina, é crescer e conseguir trazer cada vez mais envolvimento social aos negócios locais e regionais, levando informação e diversidade para espaços que antes não tinham esse contato e presença.



Gabriel: Contruir uma rede colaborativa onde comerciantes brechozeiros são exaltados juntos ao seu trabalho. Possibilitando que todos deste meio possam não somente vender, mas crescer com seu trabalho através de nossas cartilhas e programas de capacitação focados nesta área.


COMO AS PESSOAS PODEM PARTICIPAR DO COLETIVO?


Estamos sempre abertos a novos colaboradores que queiram somar com a gente de alguma forma. A participação no coletivo é aberta para todos aqueles que atuem no meio dos brechós e se interessem em formular ações para fortalecer o nosso segmento.


Atualmente o coletivo conta com três gestores, Gabriel Felix do brechó Mescana eco, Marina Leal do Brechó Submarina e Tabata Inocencio do brecho Afromix. Juntos organizamos essas feira porem buscamos agregar mais membros para esse desenvolvimento. Para participar e demonstrar interesse em compor as feiras é so nos chamar no perfil do coletivo B nas redes sociais.


https://www.instagram.com/coletivob__/?hl=pt-br




28 visualizações0 comentário